Cozinha Do Quintal

SÃO PAULO – Sua rotina diz muito mais a respeito de você do que imagina. Ela podes estipular, por exemplo, teu sucesso (ou fracasso) financeiro. É o que sugere Thomas Corley, autor do livro “Rich Habits: The Daily Success Habits Of Wealthy Individuals” (ou “Hábitos ricos: os hábitos de sucesso dos ricos”, em tradução livre).

Para Corley, os hábitos cultivados pelos ricos são diferentes da maioria das pessoas. Além das diferenças no dia-a-dia e estilo de vida, ele percebeu que as pessoas ricas tinham hábitos diferentes daquelas de baixa renda. Como por exemplo, a maioria dos ricos não assiste Tv nem sequer lê por diversão. Apesar de haver ricos que têm hábitos parelhos aos dos pobres, e vice-versa, Corley explica que a chave para o sucesso financeiro é introduzir mais de 50% dos hábitos dos ricos.

  • Autor ou nome da organização
  • Nutricionista Aponta cinco Dicas Fabulosas Para Emagrecer
  • cinco – Feche aplicativos abertos
  • 5 informações pra PMEs fazerem publicidade no Google
  • 4º Lugar – Recebe 8,1% dos cliques

Mas, no fim de contas, quais são os hábitos que influenciam sua ocorrência financeira? Mais de 62% dos ricos concordam com a frase “eu tópico em minhas metas diariamente”. Apenas 6% das pessoas de baixa renda disseram que fazem o mesmo. 81% dos ricos concordam com a frase “eu mantenho uma lista do que fazer em minha rotina”.

Quase 70% dos ricos assistem Tv uma hora ou menos por dia. Entre os pobres, a taxa cai pra 23%. Além do mais, somente 6% dos ricos assistem reality shows, em comparação a 78% dos pobres. Apesar de 86% dos ricos concordarem com a frase “eu amo ler” (contra 26% daqueles de baixa renda), eles não leem histórias de ficção, romance ou de comédia, no entanto livros que os ajudem a elaborar ainda mais tuas habilidades.

Não por sorte, 88% dos ricos leem livros de desenvolvimento profissional no mínimo trinta minutos por dia. Apenas 2% dos pobres cultivam este costume. Ouvir audiolivros durante o trajeto pro trabalho faz parte da rotina de 63% dos ricos e só de 5% dos pobres. Mais de 80% dos ricos disseram que vão e também teu escopo de trabalho. A porcentagem cai para 17% entre os de baixa renda. Isso mostra visto que as pessoas ricas trabalham mais que as excessivo: 86% trabalham por volta de cinquenta horas por semana. O sonho da maioria das pessoas não é compartilhado pelos ricos.

Apenas 6% deles dizem que jogam ou jogavam regularmente pela loteria, contra 77% dos pobres. Quase 60% dos ricos contam calorias todos os dias. A lógica é fácil: mais saudáveis, mais tempo viverão para aproveitar sua existência e fortuna. Um agradável sorriso poderá ser a chave para diversas oportunidades. E os ricos sabem disto. E também se alimentarem bem, fazer exercícios regularmente, eles cuidam de sua aparência e saúde dentária. Mais de 60% usam fio dental diariamente. Já entre a baixa renda, só 16% exercem o mesmo.

Eu irei continuar a ler. Rui Silva (discussão) 19h03min de cinco de dezembro de 2011 (UTC) @Carlos: com as fontes vai ser preciso proceder de forma pragmática. Primeiro é tomar aquelas que não se defendem mesmo. Depois, proponho que o Carlos tire das fontes duvidosas aquelas que são supérfluos. E em terceiro espaço, à medida que a releitura do texto vai avançando, pode-se substituir parcela das referências por melhores (como neste momento comecei a fazer). Nisto tudo, minimizar a periodicidade das fontes a uma e mesma referência (o Menezes com uma dúzia, a Visão com outra etc.). Depois fazemos um novo balanço e vemos se há mais outros casos por resolver.

Havemos de chegar lá! Aflis: acho que irei começar pela “táctica do reforço de referências”; pra mim será de forma acelerada e menos difícil, para prontamente. Pergunto isto em razão de se o Melo / Menezes / Revista Visão / Guerra Colonial / novas, as fontes que mais utilizei, são consideradas fracas, em vista disso o que sobra? Outras fontes falam-nos em 2ª.3ª ou 4ª mão, sem os conhecimentos que permitam um enquadramento cabal das sugestões de detalhe, e com insuficiente rigor metodológico.